Teste Teste Teste

comments powered by Disqus

terça-feira, 29 de junho de 2010

Kick-Ass: Quebrando Tudo!!! (Ou: Com nenhum poder, não vem nenhuma responsabilidade)

Olá, pessoal! Aqui estou com a minha estréia no Gambiarra Blog. E para começar com o pé direito, nada melhor do que uma resenha de um filme que consegue ser pé direito do início ao fim. Falo do excelente Kick-Ass: Quebrando Tudo.

Em primeiro lugar, creio que seja bom esclarecer: Eu ainda NÃO li os quadrinhos nos quais o filme é baseado, portanto, não enquadrarei esse foco na minha resenha, mas sim apenas o filme como um ótimo filme de super-herói.
O trunfo desse filme é justamente o de ser uma espécie de "Watchmen às avessas" ou talvez até mesmo um “Watchmen atualizado”. O que quero dizer com isso? Enquanto a obra de Alan Moore oferecia uma visão de heróis humanos vivendo num mundo realista à sombra de uma guerra nuclear(essa obra tem TANTO mais do que “apenas” isso... Vale um post separado!), a criação de Mark Millar retrata heróis humanos vivendo em um mundo realista dominado pelo conformismo/comodismo/egoísmo e tentando salvar a humanidade... Bom, de ser MENOS humana, eu diria. No fim das contas, a idéia que está no filme é bem essa. Pessoas que aprenderam com personagens fictícios sobre qual é o elemento que importa em um ser humano e percebem que os personagens fictícios estão sendo mais humanos que eles. Mas acho que já estou me esticando demais em considerações filosóficas e esquecendo um pouco do filme propriamente, não?
Pois bem, no que diz respeito ao filme... Bom, em primeiro lugar, esqueçam completamente o clima de sátira cômica que alguns dos trailers deixaram transparecer, nada mais longe da verdade. Trata-se, isso sim, de um filme agressivo e violento. Muito. Eu diria até que está a apenas alguns passos de distância de “O Resgate do Soldado Ryan”, por exemplo. Tendo isso em mente de forma bem clara, a história contada é de Dave Lizewski, adolescente nerd e fã de quadrinhos. Ele é socialmente desajeitado, não possui nenhum atributo de destaque, não é nenhum gênio da matemática e informática, apenas vive uma vida rasa e desinteressante. Em suas reflexões e discussões com os amigos sobre quadrinhos, ele questiona: por quê as pessoas querem ser celebridades mas não querem ser super-heróis? Levando a sério sua própria pergunta, o jovem encomenda um traje de mergulho, uma máscara ridícula e decide combater o crime sob a alcunha de Kick-Ass, não demorando muito (na verdade, logo em sua primeira missão) para descobrir a resposta à sua pergunta: ninguém quer ser um super-herói porque dói. Muito. Após ser esfaqueado por dois assaltantes e atropelado por um carro, Dave passa por várias cirurgias e um longo período de recuperação, o jovem insiste em fazer uma nova tentativa, e dessa vez (AINDA apanhando muito) tem sucesso em afugentar uma gangue em uma tentativa de assassinato. Como símbolo de nossa época, vídeos da luta do mascarado contra bandidos no estacionamento de uma lanchonete vão parar no Youtube, e pouco tempo depois, Kick-Ass é a nova febre entre a juventude.
Paralelamente a isso, Big Daddy(Nicolas Cage, fazendo o que ele ama: papel de super-herói) e Hit-Girl(Chloe Moretz, a garotinha de 11 anos que rouba a cena!) uma dupla de vigilantes bem-treinados, eficientes e violentos também está operando na cidade (Londres, fazendo o “papel” de Nova Iorque) e é só uma questão de tempo para seus caminhos cruzarem com os de Kick-Ass. E um pouco mais de tempo para os caminhos dos três cruzarem com os de Frank D'Amico, um barão das drogas que está tendo os seus negócios arruinados pelos três mascarados, e com um plano concebido por seu filho Chris (Christopher Mintz-Plasse? Isso lá é um nome? “Mints, please”?), cria um “super-herói” vira-casacas para simplesmente conseguir alcançar os vigilantes e atingí-los em suas vulnerabilidades.
Não tem muito mais que eu possa dizer da trama antes de alcançar a marca de “spoiler”, mas já deu para ter uma idéia do que acontece, né? Não? Bom... Paciência...
Sobre os atores: Já mencionei a Hit-Girl ladra de cena que eu mencionei lá em cima... Eu NUNCA esperei ver em um filme, por mais que um filme de ação seja feito para isso, uma garota de 11 anos cortando gargantas, pernas, tórax, estrangulando, dando tiros certeiros... A cena do armazém com as luzes apagadas e a do tiroteio na biblioteca são dignas de um John Woo da vida, ou pelo menos de um Tarantino. Espero ver Chloe fazendo mais papéis de ação ao crescer! Nicolas Cage: ele parece se realizar no papel de Big Daddy, que é basicamente o Justiceiro com um uniforme semelhante ao do Batman. Certamente é um grande presente para o ator que se inspirou em Luke Cage para definir seu nome artístico. Aaron Johnson, no papel de Dave Lizewski desempenha muito bem o seu papel de ser um adolescente sem graça (que passa a ser considerado como “melhor amigo gay” pela garota por quem ele tem atração na escola. Pois é...). Já Christopher Mintz-Plasse... Não sei se o personagem dele que acaba não sendo bem desenvolvido/resolvido, mas ele infelizmente não me desperta nada (uma pena, pois o traje do Red Mist é o mais legal do filme!).
No geral, é um ótimo filme que consegue divertir nas mais diversas frentes: quer um filme pipoca de ação? Classificado! Quer um filme de super-heróis cheio de dever e responsabilidade? Classificado! Quer um film nerdástico, cheio de referências e legendas erradas para xingar? Classificado! Quer um filme cabeça? Classificado! Apenas não vá esperando um filme CÔMICO (a roupa do Kick-Ass pode até influenciar nesse sentido, por ser meio parecida com a do Libélula, de Superhero Movie (2008)), ou sua cabeça pode explodir.

Reações: