Teste Teste Teste

comments powered by Disqus

domingo, 6 de junho de 2010

Prince of Persia: The Sands of Time

Olá Nerds!!!

Mais um pequeno hiato separa um post do outro, mas eis que volto, com mais uma resenha de filme (tenho ido bastante ao cinema, hehehe)...


No último dia 3, estreou nos cinemas mundiais PRINCE OF PERSIA: THE SANDS OF TIME. Produzido pelo mesmo pessoal do mega sucesso Piratas do Caribe, o filme prometia muito para os fãs de games, ainda mais com fracassos como Street Fighter A Lenda de Chun-li lançado recentemente (e que no Brasil nem nos cinemas saiu).

A história narra as aventuras de Dastan, garoto de rua que é adotado pelo rei da Pérsia e criado como seu filho. Junto com seus meio-irmãos, já adulto, invede uma cidade sagrada, encontrando uma estranha adaga.

Não vou me aprofundar na história por que senão estraga a surpresa, mas vou começar a resenha dizendo que o filme é MUITO BOM! E antes que o pessoal do mimimi comece falando que não segue a história de nenhum dos PoP, eu digo: se for seguir a história do jogo a risca, não precisa ter filme, já tem Alladin, da própria Disney (que tirando a parte do gênio, tem a MESMA HISTÓRIA do jogo pra DOS- que veio ANTES, diga-se de passagem).

Em minha opinião, o filme acertadamente pega elementos e TODOS os jogos da franquia, desde os primeiros para DOS (a origem humilde do Prince) e até o jogo "ame ou odeie" de 2008 (no visual dele). A interpretação do protagonista (Jake Gyllenhaal) é convincente, mantendo o humor do personagem da franquia do PS2... Porém um ponto fraco do filme é mudarem o nome da princesa de Farah para Tamina, em que sua intérprete (Gemma Artenton) tem uma interpretação morna, que é constantemente "ofuscada" pela interpretação do Prince (of Persia, não o cantor, hehehe), entretanto, a interação dos dois juntos e as farpas que soltam uns para os outros é idênticas ao do primeiro jogo da franquia que leva o nome do filme.

As sequências de ação são muito bos também com enffase (lógico) em perseguições pelas ruas e telhados da Persia, para dar o clima de Le Parkour que popularizou os jogos da franquia. É de se destacar também o efeito de "rewind" da Adaga do Tempo, mostrada um pouco diferente do jogo, mas bem dramática!

O filme como um todo funcionou muito bem- não é um "Dark Knight dos filmes baseados em jogos", mas é muito bom, vale a pena MESMO assistir- só tem uma crítica: TODOS os cinemas de Osasco tem APENAS cópias dubladas, talvez reflexo do público alvo do filme (na sessão em que fui estava cheio de crianças). Bem, tá aí: ótimo filme, divertido e que segue fielmente os conceitos dos jogos!

E só pra ilustrar o que eu disse em relação a fidelidade do visual, táqui uma comparação:





Reações: