Teste Teste Teste

comments powered by Disqus

sábado, 3 de dezembro de 2011

Recesso de fim de ano


E ae pessoal!

Mais um ano está chegando ao fim e, como aconteceu ano passado, o Gambiarra vai dar um pausa pra reestruturação.

2011 foi MUITO importante para o blog. Crescemos de forma absurda, que nunca imaginei antes.


Porém, ainda temos muito o que fazer ainda.


Então, aguardem ano que vem (segunda semana de Janeiro), por que vamos trazer mais coisas, com formatos diferentes e já utilizados por aqui. Aguardem também (talvez) mais colunistas e outras novidades.

Ah sim! A promoção d'a Batalha do Apocalipse continua, bem como minha coluna no Fênix Down!


Valeu galera!!!

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Sorteio 100 Curtir No Facebook


Quer ganhar o livro “A Batalha do Apocalipse”? É só curtir a nossa página no Facebook que você já está concorrendo!



Regras:
Basta curtir, apertar o botão do joinha na página. E pronto! Assim que atingirmos os “100 curtiram isso” o sorteio será realizado. O que indica que somente as 100 primeiras pessoas que curtirem é que estão concorrendo ao livro! Então corre lá!
Se você já nos deu seu joinha da amizade antes da promoção, não se preocupe, também está concorrendo. Mas se você é um “curtidor” acima de 101, aguarde, pois temos mais promoções por vir.

-Os 4 colaboradores do blog estão fora do sorteio, óbvio.

O sorteio será feito pelo site Sorteios PT e o resultado será divulgado logo em seguida via Facebook e Twitter.

Tá esperando o que? Curte aí! Boa sorte!


Hype: Disney·Pixar Brave



Bomdia! Ontem saiu finalmente o primeiro trailer da nova animação Disney/Pixar:Brave (ou Valente, como será chamado aqui).



Trata-seda jornada da jovem e ruivíssima Merida, arqueira habilidosa e rebelde, filhado Rei Fergus e da Rainha Elinor. Merida, como todo adolescente, tem sua própria visão de como o mundo deveria ser e é contra as tradições antigas desua terra. Esse ímpeto a leva a uma bruxa e uma maldição que pode acabar comtudo o que a garota conhece. Então começa a jornada do herói, ou da heroína, nocaso, até o autoconhecimento, a coragem e a bravura.


Valentepromete ser uma animação maravilhosa, em seus cenários e characters designmuito bem trabalhados em cima da referência escocesa. É visualmente muito bonito! Especificamente Merida, os cachos desgrenhados ruivos, o arco, o vestido... Uma Princesa Disney guerreira! No maior estilo medieval. E é aí que entra a minha preocupação: como resolver a questão das mortes? Quase não existemorte na Disney, e menos ainda assassinatos. Como será uma princesa guerreirasem guerra? É esperar pra ver. Eu já estou esperando! *-*



Mais sobre Brave e Universo Disney aqui!

domingo, 13 de novembro de 2011

Hikaruon: Ode aos Tokusatsus!



Olá Pessoal!

Há tempos tenho ensaiado essa resenha, mas até então não havia escrito sobre, então aproveito uma noite de folga (e de insônia leve) para falar com vocês deste anime muito interessante, que é uma verdadeira homenagem aos tokusatsus, especialmente os Metal Heroes.




Mais uma vez, nossa amiga wikipedia consegue detalhar melhor o enredo que a minha pessoa:

"A historia gira em torno de Hikaru Shinodo, um detetive que se disfarça de estudante colegial para investigar os misteriosos acontecimentos em uma escola de Tóquio. Juntamente com sua ajudante, Azumi Hazuki, uma professora da escola, o jovem presencia a aparição de seres diabólicos e misteriosos no campus. Hikaru combate os seres malignos transformando-se em Hikaruon, um herói com armadura metálica."

Abertura de Hikaruon


Como falei no início, a serie possui um clima GIGANTE de tokusatsu: podemos dizer, sem sombra de dúvidas, que trata-se de uma animação de metal heroes. Desde o plot, passando pela trilha sonora (como a abertura cantada pelo mestre dos Metal Heroes Akira Kushida, no melhor estilo Sharivan), a serie se torna nostálgica por se tratar de um OVA de 1987 e que serviu realmente para homenagear as series que tanto amamos (se você é da época e se recordar como eram as series dos Policiais do Espaço, irá perceber como é legal a referência).

Abertura de sharivan: não tem muitas semelhanças?


E mais uma vez nesse post a wikipedia ajuda, com algumas curiosidades MUITO interessantes:

  • Hikaruon foi apenas uma homenagem ao tokusatsu japonês criado por Kazuhiro Ochi mesmo criador do Transformers o filme de 1985, Hamtaro e Sailor Moon.
  • O BGM do Hikaruon na cena quando ele estava sendo perseguido por um carro junto com Yayoi foi aproveitado e adaptado no seriado policial de aço Jiban, assim como as BGMs de Battle Fever J, Gyaban, Sharivan, Sheider e Jaspion.
  • Campus Special Investigator Hikaruon é apenas o 2º episodio do OVA Pink Noise, junto com outros OVAs Call Me Tonght, Evil Dragon War Chronicles 1 e Body Jack.
  • O dublador do Hikaru Shinodo/Hikaruon é o Toshihiko Seki o mesmo dublador do Miro de Escorpião dos Cavaleiros do Zodiaco e Shurato, e o dublador do vilão Shirou Amakusa é o Sogabe Kazuyuki mesmo dublador do Saga de Gemeos e Kanon o Dragão do Mar dos Cavaleiros do Zodiaco.
  • A abertura do Hikaruon é cantada por Akira Kushida cantor do tema da abertura de Gyaban, Sharivan, Sheider, Jiraiya e Jiban, e o encerramento pela Kumi Kaneko, e a abertura do Hikaruon podem reparar as cenas idênticas do Sharivan e Spielvan.
  • Podem até reparar a semelhança do Hikaru Shinodo com o Seiya de Pegasus, apesar
  • de que o visual dos dois personagens de dois animes sejam idênticas (neste caso, trata-se do estilo da época).
  • O nome Hikaru Shinodo ou Hikaruon foi homenagem ao ator Hikaru Kurosaki nome artistico de Seiki Kurosaki que interpretou o Jaspion em 1985.

  • Uma coisa interessante sobre Hikaruon é a mescla de forma competente dos elementos básicos de animes dos fim dos anos 80 e começo dos 90, como gangues de estudantes, peitinhos a mostra e um terror meio maluco com o visual e maneirismos do tokusatsu (como pose de transformação, nomes de golpes e frases de efeito).

    Fala aí se não parece?


    Procurando mais coisas na net, descobri que o projeto DUBLASATSU estaria dublando o OVA, mas não sei se foi completado.

    Melhor que muito dublador "profissional"

    É isso aí, galera, espero que vocês tenham curtido e até a próxima!



    Detetive Escolar Hikaruon
  • (Campus Special Investigator Hikaruon)

    Direção: Kazuhiro Ochi
    Estúdio: AIC
    Lançamento: 28 de janeiro de 1987
    Nº de episódios: 1
    Duração: 29 min

    Elenco:

    • Hikaru Shihodo/Hikaruon- Toshihiko Seki
    • Adzumi Hadzuki- Mika Doi
    • Yayoi Shiina- Miina Tominaga
    • Shirou Amakusa- Kazuyuki Sogabe
    • Demonic Beast(Besta Demoniaca)-Shozo Iizuka
    • Kyousuke Gomi- Tesshô Genda
    • Narrador-Tesshô Genda

    quinta-feira, 10 de novembro de 2011

    Na Estante: G Gundam Model Kit





    Olá Galera!!!

    Aqui estamos para o primeiro na estante em vídeo! Adquiri recentemente esta figura do God Gundam, de uma das series que mais assisti dos mobile suits.





    Sem mais delongas, fiquem com o video:



    Acabou que o vídeo ficou meio embaçado...

    Só lembrando que a nota que dei foi 9

    E seguem as fotos comparativas:




















    Abaixo são mais algumas fotos, tiradas por mim, para vocês terem uma ideia melhor do detalhamento da figura ( e minha incrível capacidade de deixar o boneco na mesma pose):


    Valeu galera!

    quarta-feira, 2 de novembro de 2011

    Hype: GTA V



    Sem muitas firulas, vejam o trailer:


    Achei legal, mas não me impressionou. Pronto, podem mandar as pedras!

    sábado, 29 de outubro de 2011

    Pipoca: Os Três Mosqueteiros

    Olá, pessoal! E aqui estamos com mais uma aventura cinematográfica. Os Três Mosqueteiros, de 2011. Filme baseado em um dos melhores romances de aventura de TODOS OS TEMPOS. Adaptado para um filme de aventura. Em 3D! Não tem como isso dar errado, certo? Certo? Lamento muito, mas ERRADO!

    Pois é, gente, nem dá para fazer piadinha. O filme é uma BOMBA! Logo no começo ele já trata de deixar isso bem claro, fazendo questão de ofender a inteligência do espectador com um... MERGULHADOR DE ARMADURA EM VENEZA! Não pretendo me alongar com detalhes ponto a ponto do filme (é MUITA coisa), mas esse é o principal pecado que vejo no filme: o anacronismo tecnológico absurdo! Todo mundo usando parafernália que não teria como estar lá. O tempo todo! Acreditem, o escafandro medieval no começo do filme é só isso: um COMEÇO!

    Se eu fosse francês, o filme me ofenderia!
    Aí você pode dizer: "Tá bom, Heder, entendi. Você não gostou da parte tecnológica. Mas ainda é um bom filme, fora isso, né? Afinal eles adaptaram uma obra clássica...". Mas mesmo assim, ainda está péssimo. O filme toma umas licenças que são simplesmente descabidas como adaptação. Como a decisão de fazer com que a tropa de mosqueteiros do rei tenha sido dissolvida. Ou varrer para baixo do tapete o fato que o romance de D'Artagnan com Constance é um caso extraconjugal da loirinha angelical. Sem contar a distorção GROTESCA da história de Athos e Milady antes do início dos eventos da história.

    Olha, mãe, tou 3d! ¬¬
    Não há muito mais o que dizer. Efeitos especiais previsíveis e desnecessários, desespero em mostrar a Milla Jovovich em trajes mínimos (até NISSO o filme falha!) e montes de coisas indo na cara do telespectador para ter o que apresentar na versão 3D. Triste. Não perca seu tempo vendo. Esse filme é o que eu classifico como MULHER-GATAMENTE RUIM! Em vez disso, leia o livro. Ou assista o filme dos 3 mosqueteiros de 1993, esse sim, uma adaptação decente. E depois, veja o Homem da Máscara de Ferro, de 1998. Um filme tão bom que não pode ser estragado nem por Leonardo di Caprio ainda com restos de Titanic.

    sexta-feira, 21 de outubro de 2011

    Hype: Soul Calibur V e Ultimate Marvel vs Capcom 3


    Olá galera!

    Saíram mais dois trailers de jogos de luta que a galera tem esperado, sendo que um deles temos uma bela surpresa:


    SIM!!! Exio Auditore, o mestre assassino, estará em Soul Calibur... agora terei de comprar o jogo.... ¬¬


    E o polêmico lançamento de Ultimate Marvel vs Capcom 3 nos mostra um trailer com um contexto bem interessante, mas que não impressiona tanto (ainda não entendo por que tem o Phoenix Wright no jogo).

    Esse fim de no e começo de 202 estão bem legais pra jogos, pena que não tenho grana suficiente pra comprar tudo o que quero...

    quinta-feira, 13 de outubro de 2011

    Fliperama: Gears of War 3 #EspecialGearsofWar


    Olá pessoal!!!

    Continuando nosso especial, fiquem com o review do jogo, junto com os amigos Homero e Marcelo, do Forza BRasil Racing!

    E não se preocupem: dividimos em dois audios, um somento com os aspectos técnicos e outro só com os spoilers, então, baixe por sua conta e risco!













    E abaixo os links para os vídeos, lembrando que são MEGA SPOILERS, INCLUINDO O FIM DO JOGO!!!

    MEGA SPOILER 1

    MEGA SPOILER 2

    quarta-feira, 12 de outubro de 2011

    Hype: Vingadores


    E saiu o primeiro trailer completo de Vingadores. Segue abaixo, com legendas!!!



    Não tem muito o que ser dito, só que ESSE SERÁ O MELHOR FILME DE 2012. Depois dele, o mundo pode acabar que estarei feliz!

    terça-feira, 11 de outubro de 2011

    Avatar de Dia das Crianças no Facebook

    Olá, galerinha! Depois de um longo recesso por conta do casamento, aqui estou eu de volta!

    Tá rolando uma campanha interessante no Facebook:

    Achei meio bobildo quando vi algumas pessoas mudando suas fotos de avatares para Pica-Pau e Pernalonga. E de que forma mudar sua foto poderia ajudar no combate à violência infantil? Porém, o manifesto tomou uma proporção tamanha, que em 24h, mais da metade dos meus “amigos” já estava com avatares de desenhos.

    A questão que quero abordar aqui nem é a da violência infantil. Achei legal, um manifesto silencioso e maior do que o esperado. Aliás, muita gente achou besteira e inútil. Particularmente, troquei meu avatar como forma de dizer que sou absolutamente contra qualquer tipo de violência infantil e que estamos de olho, sempre.

    Maaaaaassss, o legal desse movimento foi ver qual o desenho usado pela galera pra representar sua infância! Pelo personagem escolhido dá pra quase adivinhar a idade do dono do perfil e até um pouquinho de sua personalidade. Por exemplo, o primeiro personagem que substituiu minha carinha no caralivro foi o Shiryu (muito amor). Daí, deduz-se que eu era criança na década de 90, então deva ter lá pelos meus 25 a 30 anos; que sou uma menina de atitude, visto que todas as outras meninas se "avatararam" de Penélope Charmosa, Minie e outras fofurices e eu escolhi um CAVALEIRO DO ZODÍACO; que, talvez, eu não goste de personagens principais estereotipados, mas sim dos sidekicks estilosos; e que eu acredito no “poder da amizade” (Jeh falando com a voz do dublador do Shiryu)!
    Shiryu: mais amor, imposível!

    Um amigo, o Renan do JPC, foi mais longe. Propôs que postássemos as nossas aberturas de desenhos favoritas. Comecei com Muppets Babies e apelei com Rua dos Pombos (os desenhos da TV Cultura me marcaram mais ainda que os da Hanna Barbera ou Looney Tunes).











    Ah, me bateu uma nostalgia... Cada avatar legal, cada personagem antigo e que fez parte da formação do meu caráter, cada musiquinha feliz que embalou minhas manhãs/tardes na frente da tv. Aí, pensando um pouquinho mais “romanticamente”, chego a conclusão de que os desenhos animados fazem parte de quem eu sou, de quem nós somos. Compõem nossas personalidades e habitam para sempre em nossas almas. Só torço pra que na época dos meus filhos serem tocados pela magia dos desenhos animados, ainda existam coisas tão boas quanto as que vi na minha infância.

    quinta-feira, 6 de outubro de 2011

    Na Estante: Gears of War HQ #EspecialGearsofWar

    Olá pessoal!

    Continuando nosso especial, trago hoje para vocês um lançamento da Editora Panini, obviamente comemorando o lançamento de Gears of War 3. Como acontece com a maioria dos jogos de grande projeção, a saga de Marcus, Dom, Baird e Cole ganhou sua expansão no mundo dos comics.






    Publicado pela Wildstorm (selo de propriedade de Jim Lee, e atualmente absorvido pela DC Comics), a HQ, como dito incialmente, tem como objetivo expandir o universo (rico) de Gears of War. Realizando um processo comum na editora, o encadernando abrange o primeiro arco de histórias, dos números 1 a 6 da versão americana, e apresenta uma aventura "não muito épica", comparada aos jogos (e principalmente ao último), mas tem alguns pontos interessantes.

    O Delta Squad tem dois novos integrantes, Jace e Gil. Se o primeiro nome lhe soou familiar, sim, é ele mesmo: o novo integrante do time em Gears 3 é praticamente o personagem principal desse arco. Claro que Marcus e Dom tem sua importância (para termos uma ideia, vemos o quanto o líder do Delta é admirado, respeitado e temido pelas pessoas).



    A HQ é escrita por Josh Ortega e desenhada por Liam Sharp, e confesso que esperava um pouco mais da narrativa. A tradução é competente, não poupando palavrões típicos de situações tensas que abordam o jogo, mas acho que a narrativa do desenhista um pouco falha... Cenas de maior impacto (como o uso da serra da lancer), parecem meio sem sal... Acho (espero) que em outros números eles devem melhorar... De toda forma, o roteiro consegue mostrar o universo que é Gears of War e o personagem central do arco, Jace, tem o carisma ideal para trazer o leitor para esse mundo (tanto que está em Gears 3, né?)

    Ficha Técnica:

    Gears of War
    Páginas 148
    Wildstorm / Editora Panini
    R$18,90

    quarta-feira, 5 de outubro de 2011

    Por Aí: Entrevista com Thiago Adamo #EspecialGearsofWar

    E aí pessoal!

    Iniciando esse especial comemorativo do lançamento de Gears of War 3 e o fim da trilogia de Marcus "e sua turminha da pesada", trago para vocês uma "entrevista" muito bacana com Thiago Adamo, o Pixel Dj!

    Como vocês sabem, no dia 19 ocorreu o evento de lançamento de Gears 3 na UZ Games do Shopping Morumbi, em São Paulo. Para os 1000 primeiros compradores do pre-order do jogo foi dado de brinde o CD Gears of Music, um tributo capitaneado pelo Thiago.

    Além de falar um pouco do evento e do projeto, batemos um papo bem legal sobre o trabalho dele. Confiram abaixo, ou baixe aqui!



    Confiram o hotsite do Gears of Music e vejam mais alguns trabalhos do Thiago:





    terça-feira, 20 de setembro de 2011

    Na Estante: Ledd


    Apesar da coluna ser “Na Estante”, essa HQ não se encaixa muito nisso. Incluo-a aqui por que se trata de uma HQ e teremos versão impressa.

    Lançada esse ano (que graças ao twitter gerou um baita hype nos fãs do cenário Tormenta) por JM Trevisan ( conhecido editor de RPG e um dos criadores do cenário citado) e Lobo Borges (novo talento “revelado” pelo Doutor Careca), Ledd novamente se passa em Tormenta.

    Nota: não acompanho Tormenta desde o fim de Holy Avenger, então não faço ideia de como o cenário está, me desculpem.

    Cheio de mistérios, somos apresentados ao personagem título da serie, que está preso na Fortaleza Hardof, em Yuden (um reino militarista do cenário) e que não se lembra de nada, a não ser seu próprio nome. Conhecida como um “lugar de onde não se escapa”, a fortaleza é um lugar praticamente intransponível, mas nosso herói é ajudado para um mago um tanto diferente (que precisa de cabelos para realizar suas magias) de nome Ripp, a fugir da prisão.

    A saga tem uma narrativa bem diferente da consagrada Holy Avenger e das canceladas Dado Selvagem e Dungeon Crawlers- menos comédia e mais ação. Talvez pelo fato de Trevisan ser um rpgista mais “clássico”, que curta mais Dragonlance e similares, a HQ tem um clima muito bom (claro que existem as piadas visuais típicas do mangá, mas não tanto como Holy, por exemplo). A trama está sendo bem construída e nos deixa curiosos a cada parte que sai.


    Vale lembrar que, numa estratégia ousada, a HQ está sendo lançada primeiramente de forma digital, no site www.leddhq.com.br . Sim, pessoal: vocês podem acompanhar a saga de Ledd e Ripp DE GRAÇA, em lançamentos quinzenais. Está prevista para Novembro uma edição impressão do primeiro arco da aventura (que se encerrará na parte 4, se não me engano).

    sexta-feira, 2 de setembro de 2011

    Thundercats 2011: o épico que deveria ser!

    Olá pessoal!

    Vida nova, casado, um senhor de família, MAS SEM ABANDONAR O GAMBIARRA! a internet instalado e funcionando a todo vapor, trarei para vocês minhas impressões sobre o novo desenho dos Thundercats, que assisti em minha primeira semana de senhor de família!

    A história dos Gatos do Trovão nessa versão difere e MUITO da versão original: Thundera não é um planeta, mas sim um reino no meio da Terceira Terra. A tecnologia é "um mal há muito extinto" e os Thundercats conhecem e TEMEM a figura de Mumm-RA. Claudius está vivo e vemos um jovem e impulsivo Lion-o aprendendo a ser rei. Apesar de seu irmão Tygra (?) ser mais velho, ele é quem herdará o trono.

    Mesmo sendo o futuro rei, Lion não demonstra muito "talento" para ofício, sendo sempre duramente criticado pelo pai. Mas os acontecimentos que precedem e sucedem a queda de Thundera o fazem amadurecer e começar a crescer muito em busca do livro dos presságios.



    Sob essa singela sinopse (NÃO RETIRADA da wikipedia), o novo Thundercats começa. E COMO É ÉPICO ESSE DESENHO!

    Como falei no Gambiarracast sobre remakes, tinha uma expectativa muito boa sobre o desenho e (excluindo o sexto episódio) ela foi não só atingida como superada! O traço é muito bem trabalhado, numa mescla boa entre o estilo cartoon e o mangá, com foco GIGANTE nas expressões faciais. Entre as grandes diferenças estão o fato dos gatos NÃO USAREM tecnologia, é na base da espada mesmo, além da incrível sequência em que Jagga e seus clérigos atacam Mumm-Ra (o velho mentor está ao melhor estilo Gandalf- só que usando velocidade igual a Cheetara). Até mesmo os outrora inúteis Willikyt e Willicat estão mais legais, fora que muitos irão mimimizar sobre o Tygra e o Lion sendo irmãos, que não faz sentido e tals, mas percebi que o tigrinho é, na verdade, um FILHO BASTARDO de Claudius!

    E as cenas de ação! O que dizer da ação do desenho? Com certeza a parte mais incrível são os clérigos enfrentando Mumm-Ra, é de encher de empolgação nesse momento (infelizmente não achei um video legal, que tenha incorporação disponível). A equipe de desenvolvimento da animação é a mesma de Avatar ( o do Ang)- então é selo de qualidade.

    Por fim, como falei também no post sobre os perigos da nostalgia: esse desenho novo dos Thundercats FAZ MAIS SENTIDO. É muito mais interessante e épico que o antigo- foi como twitei ao ver os dois primeiros episódios:

    "Existiu MESMO um Thundercats nos anos 80?"


    terça-feira, 30 de agosto de 2011

    Na estante: Os próprios deuses - Isaac Asimov

    Olá, caros leitores! Aqui estamos novamente com um na estante, hoje estrelando um dos maiores nomes da ficção científica mundial do século XX, o "bom doutor" Isaac Asimov, com uma obra tipicamente hard e (espero eu) à prova de filmagens. Vamos a ela?

    A história é dividida em três grandes seções interligadas e independentes ao mesmo tempo, denominadas, "Contra a estupidez...", "...Os próprios deuses..." "...Disputam em vão?". A primeira delas conta sobre a descoberta revolucionária de uma fonte de energia(a bomba de elétrons) baseada na transferência de matéria entre a nossa dimensão e uma dimensão paralela, com leis da física diferenciadas que permitem a existência de outros elementos impossíveis em nossa realidade. A descoberta dessa fonte de energia potencialmente ilimitada parece a solução perfeita para a crise energética, porém um jovem físico, Peter Lamont, ao pesquisar sobre a origem da bomba, suspeita que ela seja, na verdade, mais idealização dos habitantes do "para-universo" do que dos cientistas da Terra, e ao mexer com egos poderosos, vê sua carreira acadêmica ser destruída como se nada fosse.

    Prosseguindo em sua busca pela verdade, Lamont obtêm o auxílio de um linguista disposto a decifrar as mensagens que foram enviadas pelos habitantes do para-universo no início da interação entre as duas realidades, e o que acaba sendo descoberto é uma mensagem desesperadora, uma vez que as leis físicas do outro universo estão gradualmente se infiltrando no padrão da realidade "principal", gradualmente acelerando o consumo de combustível solar de maneira que ele entre em fase de nova dentro de cerca de 100 anos. Em posse dessa informação, Lamont tenta alertar as autoridades responsáveis pela bomba. O que acaba sendo inútil. E esse primeiro tomo termina com Lamont e o linguista descobrindo que os alienígenas com quem eles travaram a comunicação até então não eram, como eles supunham, as autoridades da outra realidade tentando evitar a hecatombe, mas sim um OUTRO grupo de cientistas que em sua realidade também não estavam sendo ouvidos por seus pares.

    A SETENTÁSTICA capa da antiga tradução da Hemus.
    E aí? Já deu para explodir a cabeça?Mundos paralelos, transferência de matéria, picuinhas acadêmicas, leis da física contaminadas, ameaça do sol entrar em nova... E isso é só UM TERÇO da história...
    Aí entramos no segundo terço da história, de onde vem o título do livro e onde muita coisa será esclarecida. Ah, sim. Também é onde seu cérebro levará uma surra monumental. Vai doer. No pain, no gain.

    O segundo tomo trata de nos apresentar ao para-universo e seus habitantes. E aqui temos uma das maiores viagens de criatividade que eu já vi em termos de alienígenas. Trata-se de seres à base de energia que têm sua identidade dividida entre TRÊS sexos diferentes, cada um com seus papéis e expectativas sociais bem definidos. O foco da narrativa fica em uma família (ou "tríade", como eles se referem) desses seres, um dos quais está envolvido no projeto da bomba de elétrons pelo lado de lá. Basicamente, vemos a história de como os três membros chegam a formar sua própria tríade e como o componente racional da tríade descobre sobre os perigos da bomba e passa a tentar alertar os habitantes da nossa realidade. Este tomo se encerra com a descrição dessa tríade, em particular, ao passar para o seu próximo estágio de maturação.

    "Eu explodi sua cabeça!"
    Por fim, temos o terceiro tomo, "...Disputam em vão?", em que Benjamin Denison, um cientista que foi ridicularizado à época da descoberta da bomba de elétrons, parte para uma colônia lunar em busca de reiniciar sua carreira acadêmica e acaba se envolvendo com a pesquisa de uma forma de equilibrar os efeitos da bomba sem que a humanidade perca os benefícios de seu uso.

    Bom, a essas alturas talvez tenha alguém reclamando de spoiler, mas posso garantir: o que eu contei aqui é NADA perto da complexidade da narrativa e dos temas abordados... O "bom doutor" era um escritor e tanto! Ele abre espaço para discussões das mais variadas na obra, como ética acadêmica, ambientalismo, identidade de gênero... Fica claro que a Editora Aleph acertou na mosca com esta nova tradução(a única disponível em língua portuguesa anteriormente datava de 1972, pela Editora Hemus). Os temas abordados são extremamente atuais, além de muito inovadores. Mais uma bola dentro para os clássicos!

    sábado, 27 de agosto de 2011

    Cinema: Lanterna Verde

    Olá a tod@s. Depois de uma longa campanha de divulgação, de um hype maior até do que o terceiro Batman de Christopher Nolan, por fim saiu o esperado filme do Lanterna Verde. E a minha opinião? Bom, lamento dizer, mas... Deixou a desejar. Felizmente, em termos de ruindade não chega aos PÉS da Mulher-Gato da Halle Berry nem do Aço de Shaquille O'Neill, mas.... Vamos ao texto!
    O filme começa com um pequeno monólogo explicativo dizendo quem são os lanternas, os guardiões e o planeta Oa. A trama segue em frente mostrando o lanterna Abin Sur sendo mortalmente ferido por Parallax (uma entidade feita de medo) e sua busca por um sucessor digno, que o leva ao planeta Terra, onde em seu último fôlego de vida ele passa seu anel e sua bateria para o mulherengo piloto de testes Hal Jordan. Em seguida, vemos Jordan se virando para aprender a controlar os poderes do anel, tentar manter sua carreira de piloto nos eixos, reconquistar o coração de sua antiga namorada (e filha do chefe, a propósito) Carol Ferris e, por fim, derrotar o mesmo Parallax que matou Abin Sur e seu lacaio na Terra.
    Pois bem. Isso foi a sinopse. Algo bem previsível e simples, como se pode ver. Ok, típico filme de super-herói para se divertir por uma hora e meia. A história inclusive é contada em um ritmo legal, bem agradável, direto ao ponto.
    Não falei que era melhor que Mulher-gato e Aço?
    Parallax, o devorador de mundos... Ops! Filme errado!
    Agora, vamos aos pontos negativos. Ou devo dizer O ponto negativo? Caracterização. Hal Jordan sempre foi um personagem descontraído, isso é fato. Mas aqui? É quase como se ele fosse o alívio cômico de outro personagem sério. Mas ele é o protagonista, né? Arrisco até o palpite de que seja uma tentativa malfadada de estabelecer Jordan como um "Tony Stark da DC"(Temo muito pelos filmes da DC se eles seguirem a fundo essa tendência de espelhar seus personagens em outros da Marvel...). Outro exemplo? Inventaram de enfiar em um filme do Lanterna logo a (Dra?) Amanda Waller (magra?) e uma instalação governamental de alto sigilo. Força Tarefa X? Projeto Cadmus? Minha aposta é que a "imitação da SHIELD" será mesmo Projeto Cadmus. AINDA reclamando da caracterização e das imitações de filmes Marvel... Bom, o Parallax do filme é basicamente "inspirado" no Galactus do 2º(e último, espero) filme do Quarteto Fantástico.
    "Mas Heder, então você está sendo chato só por implicância, não?". Pois é, eu mesmo também pensei isso, ao terminar de ver o filme, mas uma reflexão mais séria mostra que aqui o problema não foi "descaracterizar um pouco o personagem", mas sim FORÇAR os limites para copiar a concorrência(que tem tido várias bolas dentro com seus filmes de super-heróis).
    Meu veredicto final? Não vale a pena. Há coisas melhores para se assistir. Algumas até gratuitas. Como? Aticei a curiosidade? Então aguardem o meu próximo "Cinema" para ver O QUE é filme bom...

    segunda-feira, 8 de agosto de 2011

    Comunicado: Recesso Matrimonial

    Olá amigos!

    Quem nos acompanha por aqui e pelo twitter sabe que teremos um casamento em breve (eu e a Jéssica). Por conta da correria para os preparativos (e para alugar casa/comprar móveis), o blog ficou meio parado (de novo).

    Bem, nas próximas semanas, tanto eu como a Jéssica estaremos fora do blog (lua de mel? Alguém falou em Lua-de-Mel?), para arrumar nosso cantinho e providenciar algumas coisas (como internet em casa).

    Sendo assim, talvez vocês não terão tantas coisas nos próximos dias.

    De toda forma, espero que assim que essa correria passar, estaremos prontos para mais uma fase no Gambiarra (e em nossas vidas).

    Valeu galera, e até alguns dias (aqui no blog)!

    sábado, 30 de julho de 2011

    Pipoca: Capitão América - O Primeiro Vingador





    Olá galera! dessa vez a crítica não vai demorar duas semanas depois do filme, hehehe

    Sendo visto como o filme da Marvel Studios mais desacreditado por vários fatores, Capitão América: o Primeiro Vingador, é o último degrau da escalada da Casa das Ideias para o filme dos Vingadores.




    Como o Capitão é o mais "escoteirão" dos personagens Marvel (e quiçá das HQs em geral), e tendo um lado patriótico MUITO grande, muitos se preocupariam com o americanismo exagerado, além do ator escolhido para portar o escudo (Chris Evans) ser visto como, no mínimo, inadequado para o papel.


    Porém, não é o que vemos aqui. Várias das preocupações, como usar a Hidra ao invés dos nazistas como vilões foi muito bem explicado (talvez o contexto não seja claro para todos, mas com um pouco de esforço consegue-se entender)- a Hidra está para os nazistas da mesma forma que a SHIELD está para o governos dos EUA.

    Um outro ponto forte que é muito legal fica por conta da caracterização: muitos leitores de HQ que viram o desenho da Liga da Justiça já imaginaram como seria se os nazistas conseguissem a tecnologia que eles almejavam na época, e isso é mostrado no filme: veículos e armaduras altamente tecnológicas, mas sem deixar de lado o climão retrô fazem do filme uma experiência interessante: não é um filme HISTÓRICO, é um filme de FANTASIA que se passa DURANTE um período histórico. Vejo até ali como o surgimento da Shield nesse filme, com o Comando Selvagem e tals.

    E sobre os atores: muito bem trabalhado, os atores cumprem seu papel. O mais desacreditado de todos, Chris Evans, supreende conseguindo convencer como o garoto franzino que quer ajudar de qualquer forma: fraco fisicamente, mas forte de coração. Sem puxar para um patriotismo piegas, o personagem é trabalhado como alguém que sabe o que é a guerra, sabe o que defender o mundo do nazismo significa e quer ajudar, no campo de batalha. Tommy Lee Jones manda muito bem também, e a Sharon Carter é uma tetéia (desculpe, Jé)! Porém, o Comando Selvagem poderia ter sido mais bem explorado (e não colocaram o Nick Fury durante a Guerra, como nos quadrinhos).

    Agora, mais uma vez, o vilão se destaca: Hugo Weaving e seu Caveira Vermelha são a definição de vilão: danem-se motivações complexas, ser uma pessoa atormentada ou algo parecido: Eu quero é dominar a porcaria do mundo. Ponto.


    O único ponto que poderia ter sido melhor, é na condução: vejam bem, filmes de Segunda Guerra já encheram o saco, Capitão NÃO É um filme de guerra! Porém, há pelo menos uns 3 climax, cenas em que o filme poderia ter acabado ali, mas continua. Isso dá um tom meio "cansado" para o filme- ele tem o mesmo tempo de filme do Thor, mas parece que tem o dobro!

    Por fim, ASSISTAM o Capitão, mas tendo em mente que é um filme de SUPER HERÓI, não um filme de Guerra.




    E fiquem até o fim dos créditos, vale a pena (apesar de já estar na internet). Esperemos, pois, os Vingadores!

    segunda-feira, 25 de julho de 2011

    Hype Especial San Diego Comic Con: Mattel e MAIS DC Direct!!





    Olá pessoal! Venho aqui com a última parte do Hype sobre os Action Figures (se surgir mais alguma informação legal que não seja muito veiculada eu posto aqui também!
    O nosso post começa com as (MUITAS) novidades da Mattel, e como nos outros dias da Comic Con as demais empresas apresentaram ainda mais novidades, postarei as que mais me chamaram atenção!





    Masters of The Universe Classics:

    A linha do Heman e dos Defensores de Eternia continua! Com muitas figuras da mitologia do homem mais poderoso do universo e da She-Ra (até hoje não sei se eles são primos ou irmãos gêmeos), temos várias figuras novas, mas muitos dos pesonagens eu não conheço- o ponto forte é para o lançamento de VEÍCULOS da série, para desespero dos colecionadores menos abastados (ainda bem que não inventei de colecionar essa linha).





    DC Universe Classics:


    A linha de figuras da DC está chegando a sua vigésima edição, e deixa os fãs mais tranquilos: para cada edição com figuras "estranhas" há duas com ótimas escolhas de pesonagens (Teremos Atrocitus, Faixa, Jay garrick, Rapina e Columba, Dr Zoom, Arquiros Vermelho e Verde- em novo uniforme- Starman, Sideral... são tantos!)! Ainda não consegui informações de quais waves serão as figuras, mas vamos a elas!








    Voltron:



    Pouca gente deve conhecer, mas este foi um anime que os gringos compraram e americanizaram (parecido com Gatchamen/Batalha dos Planetas). Nos anos 90 achavamos em locadoras fitas e mais fitas desse desenho de robô gigante, em que cada parte era um leão de cor diferente.

    O mais legal é que além da linha clássica, teremos também um REMAKE do robozão, talve como prévia de uma nova série? Ponto forte para o que parece ser a mais luxuosa coleção, com os pilotos e seus repectivos veículos, que parecem ser GIGANTES!






    E abaixo nós temos as figuras da DC Direct, que foi a única que mostrou mais figuras relevantes (ao que parece, da serie Flashpoint):




    As figuras da nossa fonte não tinha muitas imagens boas, mas aqui damos por finalizada a cobertura de action figures: postagens sobre a SDCC serão "Ressaca" do evento. Aguardem!