Teste Teste Teste

comments powered by Disqus

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Dragões de Éter



Salve, galera! Ano Novo, vida nova, e GAMBIARRA NOVO!!! Esperamos conseguir dar conta da demanda que nós mesmos estamos nos impondo e principalmente, esperamos que vocês estejam curtindo o que tem até agora!


Há pouco mais de um ano comecei finalmente a ler mais livros (nunca gostei muito de ler, mas graças ao Diego e a Jéssica, que insistiram extremamente para que eu lesse mais, em pouco mais de um ano li uns 15 livros) e esbarrei, por puro interesse pela capa, na obra Dragões de Éter, de Raphael Draccon (@raphaeldraccon)... E que surpresa boa que tive!


Os livros

A serie Dragões de Éter consegue unir de forma magistral elementos de Contos de Fada, elementos de cultura nerd ("cultura pop" de c& é r*@a!) e games de forma incrível. Mas incrível MESMO. Não se trata de fan service como em certas hqs (cof, cof, HOLY AVENGER! Cof, cof...) que simplesmente colocam personagens fantasiados ou explicitam suas aparições: Draccon consegue, de forma sensível e sutil, incluir referências que vão de Monkey island e Tekken a concursos de cosplay (sim, COSPLAY!)...
Não vou entrar muito na trama, mas digamos que ela gira em 5 personagens específicos (a minha vista, ao menos): Ariane Narin, um menina que teve sua avó devorada por um lobo gigante, e que teve seu chapéu, que era branco, tingido de vermelho pelo sangue de sua avó; João e Maria Hanson: casal de irmãos que foram sequestrados por uma bruxa canibal; Snail Galford, um novato no navio de um pirata extremamente cruel, filho de um temível corsário que tem um gancho no lugar de sua mão e Axel Terra Branford, segundo príncipe de Arzallum, extremamente popular entre a plebe, que parte em busca de seu irmão Anisio Terra Branford, que desapareceu, até então, misteriosamente...

Talvez pareça preguiça explicar a história, mas é que REALMENTE vale a pena ler os livros da serie... A narrativa não é em terceira pessoa, necessariamente... Parece que REALMENTE você está conversando com alguém e esse alguém está lhe contando a história, uma história que mostra que você pode tudo o que quiser, se acreditar! Se confiar em si mesmo, e na Criação.

Quando falo "Criação" é bem interessante, pois o autor nos mostra que NÓS (seus leitores) também podemos criar uma história, ter um mundo Criado por nós. Ele nos eleva a status semidivinos, pois temos a capacidade de criar, mesmo que de forma imaginária (que para os personagens dos livros é chamado de forma etérea) mundos fantásticos, que pulsam, que existem em algum lugar do universo!





Acho que nunca encontrei um autor (seja de HQS, filmes, animações ou livros) que conseguiram de forma tão singela e ao mesmo tempo tão explícita de homenagear influencias como Draccon fez em Dragões de Éter. E nisso também incluo Cornwell, por que o brasileiro criou todo um universo em cima de conceitos que permearam nossas vidas, enquanto Cornwell segue a História (com "H" maiúscula por que é relacionado a História do mundo), acrescentando elementos de lendas da Britânia/Inglaterra...

Parabéns, Draccon! Você é um dos primeiros autores que acompanhei e com certeza é um dos meus favoritos, e um dos caras que ao mesmo tempo me faz perceber a merda de escritor que eu sou (heheheheheh)...

Recomendo Dragões de Éter para TODOS! De verdade!


Sequência de Leitura:
1º Caçadores de Bruxas; Corações de Neve; Círculos de Chuva

Reações: