Teste Teste Teste

comments powered by Disqus

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Interstella 5555: Música Para Assistir



Às vezes, nos damos de cara com alguma coisa que nos marca profundamente. Algo que vemos, ouvimos, assistimos, experimentamos. Não do tipo bom ou legal. Mas aquela coisa incrível que faz ecoar no coração a frase: “É isso que eu quero fazer da minha vida!”. Esta a seguir é uma das coisas que realmente mexeu comigo, me fazendo almejar ser desenhista, designer, mangaká, estilista, ilustradora ou qualquer coisa que tivesse a ver com lápis e papel. Mas antes da coisa propriamente, conheçamos os artistas:


Daft Punk
Dupla de excêntricos franceses de música eletrônica. Começaram nos anos 80 com Indie Rock, mas a coisa funcionou quando partiram para o eletrônico. Considerados os precursores do estilo na Europa, são famosos tanto pela sonoridade dançante quanto o visual robótico, capacetes com LED e a fúria para esconder a identidade de cada um. Chegaram até a afirmar que às 09:09 de 09/09/99 sofreram um acidente em seu estúdio e se transformaram em robôs de verdade.
Daft Punk já participou da trilha de muitos outros filmes como o Homem de Ferro 2 ( com a música “Robot Rock”), e assina a trilha de Tron Legacy. Suas músicas também foram sampleadas por inúmeros artistas, como “Stronger” do Kanye West.


Leiji Matsumoto

Um mestre. O criador da Patrulha Estelar (precisa dizer algo mais?). Nascido em 1938 no Japão, começou como mangaká de shojo (mangá para garotas). Depois de alguns outros títulos, criou o mangá que é considerado uma obra prima para bons conhecedores da causa: Space Battleship Yamato, ou como foi traduzido aqui no Brasil Patrulha Estelar. Sua arte é facilmente reconhecível pelos traços longilíneos e longas pernas, mulheres delicadas e homens de personalidade forte e determinados. Yamato foi sua obra mais conhecida aqui no Brasil, mas não é difícil achar mais do cara internet à dentro.




Interstella 5555: The 5tory of the 5ecret 5tar 5ystem

É basicamente a compilação de todos os clipes das músicas do álbum Discovery do Daft Punk, de modo a formar um longa metragem animado. Perfeito! Se assistidos em sequência ininterrupta, os clipes formam uma história com começo, meio e fim. O anime não tem sequer uma única fala, male má um efeito sonoro, por isso música para assistir (ou anime para ouvir). Porém, a música juntamente com a animação é suficientemente expressiva para sabermos exatamente o que cada um dos personagens está falando e até o tom de suas vozes. Na verdade, falas são desnecessárias. Cada uma das músicas do álbum dá o clima exato e a sensação que a história quer passar naquela cena.







A história trata de um grupo musical alienígena que é seqüestrado durante um show em seu planeta natal. Depois do seqüestro, a aparência deles é alterada para que se pareçam com os terráqueos humanos normais e, depois de alterarem suas memórias também, os quatro personagens são forçados a cantar e tocar aqui na Terra por um pseudo empresário do mal. Patrulheiros espaciais do mesmo planeta da banda tentam protegê-los, mas em vão. O piloto Shep é designado para o resgate, piloto este que é apaixonado pela baixista da banda, Stella, e estava no meio de um sonho de amor com ela quando foi convocado. Porém coisas acontecem e, como eu não gosto de spoilers, não os darei aqui.








Eu acompanhei o lançamento dos quatro primeiros clipes, na época pela Mtv e Cartoon Network. Foi em 2001 e eu não tinha o mínimo acesso à internet nem TV por assinatura. Então ficava ansiosa demais por cada um dos lançamentos. Mas somente esses quatro foram exibidos na TV em seu lançamento. Apenas em dezembro de 2003 é que foi lançado o longa completo em DVD (acho que não aqui no Brasil). Para acompanhar compramos o CD Discovery, meu irmão e eu (e no mesmo dia, o Chocolate Starfish and the Hot Dog Flavored Water do Limp Bizkit). Só fui finalmente assistir ao anime completo em meados de 2008, em uma péssima resolução.

Não quero me aprofundar em dados técnicos, mas a dupla Daft Punk e o produtor Cédric Hervet tiveram a idéia de fazer com que cada clipe do álbum fosse um capítulo de uma história fechada durante as gravações em estúdio. E foram atrás do ídolo Leiji Matsumoto para pedir que participasse da produção. E não é que ele aceitou?! E é visível o traço do mestre na animação. Lembro-me que quando vi, minha primeira impressão foi: “Que lindo! É tão 70’s, tão Patrulha Estelar!”. Existe esse clima retro/nostálgico, tanto no som quanto na imagem, mesmo que uma nostalgia de épocas diferentes. Cerejinha do bolo: a produção foi feita pelos estúdios Toei Animations.



Space Batlleship Yamato Interstella 5555


O vídeo inteiro, clipe por clipe, só encontrei no Google Videos. É difícil encontrar o vídeo completo ou em boa qualidade e resolução no Youtube, já que a EMI retirou os melhores links por direitos autorais. Mas vale a pena procurar.



Hoje eu ainda não vivo de desenho, mas continuo insistindo. Então, quando vocês se defrontarem com algo que seja tão mágico quanto Interstella foi pra mim, insistam também! Com nossos sonhos, precisamos ser bem teimosos.

Reações: