Teste Teste Teste

comments powered by Disqus

terça-feira, 8 de março de 2011

Ação Magazine: Agora vai! (eu espero!)


Uma das coisas que o Brasil mais teve nos anos 90 foram publicações nacionais usando jovens talentos. Na maioria das vezes sem muita qualidade, a longevidade destas publicações não eram muito altas- geralmente não passavam de 5 edições.
Poucas foram as edições nacionais que duraram, e muito poucas ainda as que chegaram até o fim- a maioria delas são da Editora Trama, como as
mini-series Blue-Fighter, Lua dos Dragões, Goddles, UFO Tem e a revista mensal em estilo mangá que ganhou vários prêmios (incluindo no próprio Japão) Holy Avenger.

Das coletâneas, os mais famosos eram Hypercomics, idealizado pelo mesmo pessoal da Animax e d'As Novas Aventuras de Megaman: com pitadas de humor e (principalmente) erotismo, a revista (que é a publicação editorial de um fanzine), que fez muitos sucessos em seus primeiros números, foi perdendo-se no decorrer dos números, pois o foco da revista mudou e o erotismo foi substituído por um humor fraco, sem graça e pouco inspirado. Já pela trama, foi lançado o Defensores de Tóquio- idealizado por Sergio Peixoto não chegou nem ao décimo número, repetindo a mesma fórmula da Hypercomics.

Já a escala tentou com sua Desenhe e Publique Mangá, mas a publicação era tão estranha em sua periodicidade que não tinha como acompanhar.

Com a chegada de publicações de mangás originais (a JBC com Rurouni Kenshin e Sakura) as publicações nacionais foram minguando, até que desapareceram. Vários são os
motivos especulados: a impossibilidade de competir com mangás mainstream, a qualidade do material (seja a arte, publicação, preço)... E hoje os mangás dominam as bancas nacionais: hoje em dia tem mais mangá que comics nas bancas e o Naruto é mais famoso que o Superman!

Porém, pelas internets da vida- principalmente no DeviantArt, conseguimos achar ótimos
artistas brasileiros de mangá, além dos bons fanzineiros que sempre lutam contra os mangás em eventos. Mas o amadorismo e o ego atrapalham na hora de investir: muitos pensam que você é obrigado a comprar o material simplesmente por ser nacional, e que não devemos nos importar com qualidade ou até mesmo preço.





Provavelmente pensando nisso, o blogueiro (e agora
empresário) Alex Lancaster, editor do blog Maximum Cosmo criou a Lancaster Editorial e em um evento em Recife chamado Nippop, que teve a participação do consul japonês Akira Suzuki anunciou o lançamento da Revista AÇÃO MAGAZINE, que está sendo chamada de Shonen Jump Brasileira- com artistas "desconhecidos" a revista promete ser uma grande publição do tipo no Brasil, e pode ser um divisor de águas no segmento.

Pelo preview disponibilizado, a HQ promete. Segue o link: http://issuu.com/acaomagazine/docs/amagpreview

Espero MUITO que a inicitiva dê certo, por que qualidade tem (lembra DEMAIS a Shonen Jump: muito MESMO), e que o ego não estrague uma iniciativa boa!

Reações: