Teste Teste Teste

comments powered by Disqus

quarta-feira, 27 de abril de 2011

Vídeo de divulgação do Mortal Kombat e mimimi (por que não?)


Uma das coisas que mais tem crescido no BR nos últimos anos é o mercado de games. Mesmo com a falta de informação da imprensa brasileira, os pais tem percebido as vantagens que os jogos (voltados para a faixa etária de seus filhos) podem trazer às crianças e, especialmente, as empresas tem percebido o potencial do país para o mercado, e apesar do rapaz que "adquiriu" uma cópia do jogo antecipadamente ter gerado uma situação constrangedora, os produtores de MK ainda botam fé na divulgação no país.

O vídeo abaixo divulga o lançamento do jogo (com legendas em português) em solo tupiniquim, com o mano Sub-Zero (o ninja, não a Antartica) andando pela avenida. Curtam o vídeo:


Nessas horas eu lamento trabalhar em Alphaville e não no centro de SP...


Vale lembrar que a sony, mesmo com a dublagem ruim de Killzone, tem feito eventos muito legais para divulgar os seus jogos, como o do lançamento de God of War 3.

A Microsoft tem dublado seus Halo 3, ODST e Reach, prometendo também legendas em português em Gears
of War 3, mas a empresa do Grill tem feito um trabalho maior, parecendo com os lançamentos dos EUA.

Aí vem a pergunta: POR QUE TEM GENTE QUE AINDA PIRATEIA? Eu entendo que há pessoas que não dispõem de valores para gastar com jogos de lançamentos e tal (eu sou uma delas- apesar de meu XCaixa ser bloqueado), mas até aí, não ter dinheiro é uma coisa, agora se VANGLORIAR que usa pirata como se fosse esperto?



Por que o "jeitinho brasileiro" e a "Lei de Gerson" tem sempre que prevalecer?

Oi, mãe! To na Globo!

"Ah, o jogo é muito caro", você diria, e eu grito bem na sua cara: BULLSHIT! Tem vários jogos que você adquire com bons preços, mesmo lançamentos! É só saber procurar!

Devemos SIM condenar a atitude do tal Kaleb, não por ele ter "conseguido" a cópia, mas por TIRAR VANTAGEM. Postar na internet "só para os amigos" é a desculpa mais deslavada que poderia ouvir (ou ler)! Só quero deixar claro que não quero obrigá-los a adquirir jogos originais, cada um sabe onde aperta (com meu casamento agora, só Deus sabe quando pego outro jogo), mas se achar mais esperto ou inteligente que os demais só por que você tem um video game desbloqueado e compra jogos por R$10,00 é no mínimo ingenuidade... Você NÃO É! Simplesmente optou por isso, perdendo a oportunidade de fazer novo amigos em seu ambiente de rede e ter batalhas épicas que vai lembrar pra sempre...

Novas informações sobre Lanterna Verde


Pode parecer que eu estou privilegiando o filme da DC, mas a verdade é que dos três filmes de heróis esse ano, este é que o povo está mais com o pé atrás...

Primeiro tivemos um trailer que no mínimo queimou a expectativa com os fãs, graças a piadinhas "infames", com o já famoso "I know, right?!":



Após uma enxurrada de reclamações, a DC deixou os fãs com mais desconfianças AINDA, com materiais de divulgação horríveis!

Mas na Wondercon,como divulgado no Gambiarra a um tempo, saiu um compilado de cenas, SEM as piadas, gerando uma nova esperança pelo filme.

E nessas semana foram divulgadas mais imagens e dois spots de TV do filme, que parece que REALMENTE vai ser um bom filme (na verdade ainda pode ser a mesma coisa, mas com um marketing melhor):- primeiros os posteres FODAS de Sinestro, Killowog e Tomar-Re:


E abaixo os dois spots:






Galera, foi como falei no último gambiarracast: o primeiro trailer queimou o filme, e a recepção seria BEM DIFERENTE se tivessem divulgado o filme sem as piadas... Estou tão ansioso que tenho coragem de não baixar o filme e de fato esperar até Agosto para ver em 3d no cinema, mas sei que não vou resistir...

Vamos esperar, então!

segunda-feira, 25 de abril de 2011

A culpa é dos games violentos. Será mesmo?



Seguindo a linha de raciocínio do post anterior do Diogo, resolvi desabafar forte agora com esse texto.
Se você é gamer, nerd, gosta de coisas diferentes do que as "aceitas" pela grande massa, então está acostumado a ser zoado, tachado de bitolado, sedentário, alienado, viciado, estranho, esquisito e mais uma infinidade de adjetivos. Assim como eu, assim como nós do Gambiarra, você provavelmente aceitou tudo quieto, sem causar muito estardalhaço, afinal as pessoas que tanto falam mal são em sua maioria absoluta ignorantes, sem acesso a conhecimento, desinformadas e automaticamente incapazes de manter uma discussão saudável. Mas ultimamente a coisa tem ficado pesada demais. E dessa vez temos que agir.

Depois da afirmação da mídia de que a culpa do ataque em realengo é EXCLUSIVA dos videogames e da previsão irracional de que todos os próximos jovens assassinos do país são aqueles que hoje jogam games de tiro, FPSs, Shooters e afins, me senti ofendida. Não só pelo fato de ser gamer, mas com a capacidade das emissoras, principalmente a sensacionalista Rede Record, de achar que seus telespectadores são tão influenciáveis e incapazes de raciocinar e formar sua própria opinião. 

Já estamos também acostumados com o jornalismo absurdamente sensacionalista da Record e sua necessidade de sangue e tripas ao vivo para sobreviver. Já sabemos como a desgraça alheia é exaustivamente abordada na guerra do IBOPE, já conhecemos bem o carnaval de distorções (trocadilho não por acaso) de todas as tardes impostos pela telinha. Mas mexeram com nossos egos, nos subestimaram achando que poderiam cuspir informações infundadas sem que fizéssemos nada.

Pra resumir,a história foi a seguinte: alardearam a torto e a direito que a maior motivação da chacina em Realengo foram os games de tiro. E deixaram a entender que os pais devem proibir, sem conhecer, sem entender, seus filhos de jogarem tal tipo de games, pois eles influenciam os jogadores adolescentes a se tornarem assassinos também. Esquecem que o assassino já citado era um doente mental, que era perseguido por ser diferente, tão tinha estrutura familiar nenhuma. Esquecem também que a influência negativa dos games no adolescente é infinitamente menor do que aquelas que a própria emissora prima em mostrar: programas que exultam os que traem, brigam, fingem, enganam, mentem; as notícias exacerbadas sobre violência e morte; a banalização do sexo e o apoio à sexualidade precoce; a apologia às drogas, alcool, cigarro.



Se ninguém fizer nada, a coisa vai mais longe ainda.


É fácil colocar a culpa em uma minoria que pode ser esmagada mais facilmente do que a grande massa. É fácil apontar um culpado, escrotizá-lo e depois esquecer de todas as outras deficiências de uma sociedade capengando entre manipulações e troca de influência. É fácil quando se pode livrar sua cara, colocando a culpa em outro menor e com menor defesa. Ainda mais quando essa minoria é desunida e despreparada, assim como somos os gamers.

Despreparados? Desunidos? Fracos? Somos assim os gamers? Sim, somos. Apesar de sermos inteligentes (grande parte devido ao poder de raciocínio maior causado pelo próprio video game), somos todos um tantinho quanto egoístas, individualistas, acomodados. Na certeza de que continuaremos a jogar nossos games, nem que de forma ilícita, ficamos quietos, "não tem nada a ver comigo". Mas, chega né? Já está na hora de agirmos como pessoas maduras, especialmente quando queremos ser tratados dessa forma. Prestem muita atenção, amiguinhos, a visão que o mundo tem de você como pessoa, de nós como grupo, só vai mudar se a nossa atitude mudar. Hoje temos ferramentas eficazes para firmarmos nosso espaço e mostrar nossa opinião sem precisar apelar para o sensacionalismo e preconceito apresentado por aqueles que nos atacam. Sim, jovens gamers, precisamos ser inteligentes. Não adianta nada, mas nada mesmo, exigirmos respeito se não respeitamos outras pequenas massas, tribos, tipos, ou qualquer subgrupo que seja. Ou mais ainda, se não nos damos o respeito. Senão, estaremos descarregando esse preconceito em um outro desses subgrupos e agindo da mesma forma que a grande massa agem conosco: excluindo.


Colocam a culpa nos games dessa vez, antes era o RPG, outras vezes a música, algumas os livros de fantasia. Mas a culpa nunca é dos pais ausentes na criação e formação de caráter e personalidade de uma criança/adolescente. Pais estes que esperam que a escola ou a televisão sejam responsávis pela educação de seus filhos quando todos sabemos que esta responsabilidade é unica e exclusivamente deles próprios. Se você não deixa uma criança ver um pornô, também não a deixará jogar games fora de sua faixa etárea, pois sim, existe uma classifcação em TODOS os jogos, mas que nunca é respeitada.




Minha dica é a seguinte: não apele para palavras sujas, termos xulos, extremismos, acusações infundadas e toda essa variedade de inutilidades para ser ouvido. Seja esperto. Use do seu canal de comunicação (twitter, facebook, orkut, blog, fóruns) para se manifestar e mobilizar seus semelhantes e, assim, atingir aqueles que nos atingem. Sigam a @Acigame (Associação Comercial Industrial e Cultural dos Videogames) e o @jogojusto, pessoas que levam games e gamers à sério. Vamos cobrar da Acigame um posicionamento contra esse tipo de preconceito e apoiá-los. Façam posts, usem tags, comentem, mandem emails, reclamem, falem, usem do seu poder de comunicação, mas de maneira inteligente, se faça entender sem precisar baixar o nível da conversa. Se informem, se munam de argumentos e conhecimento para poder rebater as acusações contra o que somos. São tantos os blogs de games que se juntarmos forças, seremos grandes.


Deixo o link para entrar em contato direto com o site R7 aqui. E queria pedir-lhes um favor. Mandem via comentário ou no twitter os links dos sites e blogs e discussões gamers sobre este assunto. A Rede Record precisa entender que não somos tão alienados como ela pensa.

domingo, 24 de abril de 2011

Preconceito + Imprensa Despreparada= Rede Record

Como nossa imprensa tem demonstrado, e como nosso governo supercompetente tirou a obrigatoriedade de ter um diploma para se dizer um, a partir de hoje me chamo de jornalista.

E como tal utilizarei da liberdade de imprensa e da liberdade de expressão para tecer as linhas abaixo.


Acabou de ser veiculada na TV Record uma reportagem falando sobre "a influência dos jogos violentos". Chamaram uma especialista para falar sobre tal influência nos adolescentes... De forma covarde e pretensiosa, querendo ser mais proeminente e ter mais culhões que a rede Globo, aparentemente conseguindo que o twitter bloqueasse a tag #gamerscontrar7.

Pois bem, a pouco tempo a reportag
em foi ao ar, mostrando como uma imprensa despreparada, formada por pessoas obcecadas pela audiência rápida, faz novamente uma caça as bruxas ao hobby que tanto gostamos... O mais incrível e revoltante é ver uma psicóloga falando sobre déficiti de atenção... eu TODA A VIDA joguei video games, até o DOBRO que as preocupantes "seis horas por dia" mostradas na reportagem... Sempre joguei todo o tipo de jogo, incluindo RPG, e sempre fui um dos melhores da minha sala, sem ler UMA LINHA da matéria dada. O fato de jogar games me fez escapa de virar bandido, e isso é SÉRIO!

Nenhum dos garotos que estão presos hoje jogavam tanto games quanto eu!


De acordo com a emissora, e acertadamente (pelo menos) os pais devem policiar o uso dos jogos e o país faz uma classificação etária, mas a forma como isso foi mostrada foi no mínimo superficial...

A tal psicóloga ( se alguém possuir o nome dela me passa, pra eu poder pesquisar suas qualificações) informa com toda a certeza do mundo, que os games causam problemas de défiti de atenção e hiperatividade... Bem, de acordo com pesquisas divulgadas no 162º Encontro Anual da American Psychiatric Association (APA) é justamente o oposto.

Para se passar uma informação, eu acredito que deve-se ter embasamento. Se chama-se um profissional da área, este deve ter qualificações, ser especialista no assunto. e por especialista, digo ter livros publicados, estudos realizados... Em nenhum momento é mencionado as empresas que trabalham com jogos... Não se aprofunda na forma que é feita a classificação etária, apenas se preocupa com o fato de "adolescentes jogando jogos violentos", mas ao ouvir os chats de voz na Live jogando meu CoD, ouço CRIANÇAS sendo ensinadas pelos PAIS a jogar! Isso é certo? Na nossa época não havia problema, mas hoje em dia, se os jogos são tão prejudiciais assim, esses pais deveriam perder a guarda de seus filhos!

Esquecem que o rapaz de Realengo SOFRIA BULLYING, e não era apenas provocado: ele era PERSEGUIDO... E no vídeo dele tem alguma citação a jogos??? Esquecem que ele teve acesso a ARMAS ILEGAIS???

Quantas vezes teremos que ver as minorias serem esmagadas pela mídia parasita? quantas vezes teremos de ver games, RPG, Heavy Metal serem atacados por quem não conhece? A sorte é que estamos na era da informação... tais matérias são rechaçadas pelo próprio público, pelos próprios pais, mas devemos fazer mais... Seja em nossas atitudes, nas nossas informações... temos que combater a desinformação com informação e o preconceito com esclarecimento.

O que devemos combater é exatamente os vídeos abaixo- como as pessoas veiculam uma reportagem dessa quando temos isso no país:






Vamos proibir Funk, novelas e futebol???

sábado, 23 de abril de 2011

PIPOCA: Sucker Punch

Olá a todos! Tendo um bom feriado? Como você não está lendo isto no feriado, mas na semana seguinte? O que? Nem na semana seguinte? Você passou a semana seguinte tentando resolver o monte de coisas que de última hora você não lembrou antes do feriado e estouraram na sua cara na segunda? Que coisa... Então que tal relaxar, tirar os sapatos (se já não o tiver feito) e ler sobre um filmezinho de ação descompromissado? (Imagino que você preferiria ASSISTIR um filmezinho nesses moldes, mas vamos manter o roleplay, ok?)
Sucker Punch, de Zack Snyder, é basicamente esse filme. Porém, isso não torna uma resenha dele necessariamente mais fácil. Vamos a ela.
A história se passa em um ponto indeterminado dos anos 50, quando uma jovem é internada em um hospício após uma tentativa de resistir aos avanços sexuais de seu padrasto resulta na morte de sua irmã mais nova. Esse mesmo padrasto também providencia, através de suborno, para que a garota (identificada apenas com o apelido de "Babydoll") seja encaminhada para o procedimento psiquiátrico de lobotomia, para assim encobrir de forma definitiva a única testemunha por trás da morte da garota.
Baby, por sua vez, passa a desenvolver uma fantasia em sua mente, de ter sido vendida a um bordel, onde pretendem "revendê-la" dentro de poucos dias. Nesse meio tempo, ao comparecer ao seu primeiro treinamento de dança, a jovem descobre uma espécie de talento hipnótico que se manifesta ao dançar, e ao usar esse talento, ela mesma entra em um transe onde mergulha em uma fantasia na qual torna-se uma guerreira com roupa de marinheiro (é...). Ao entrar nesse transe pela primeira vez, ela descobre que há uma forma de fugir do bordel, e ao terminar a dança, cria um grupo de outras garotas dispostas a fugir e a realizar o seu plano, para o qual ela novamente usará suas habilidades de "dança mágica" para obter objetos-chave no mundo real. Trocando em miúdos: enquanto ela dança (e o filme tem a fineza de não mostrar os seus movimentos de dança em momento algum), em sua mente ocorrem as cenas de ação.
E o que dizer das cenas de ação? Bom, elas estão sob o comando de Zack "300" Snyder, então creio que nem precisa de muitos comentários, elas atendem e BEM à expectativa atrelada ao nome e nesse quesito, pode ter certeza, não haverá nada de decepcionante. Raios, tem até VARIEDADE nas cenas de luta! Quer ver uma petit loirinha combatendo samurais metálicos de 5 metros de altura? Feito! Quer ver uma também petit asiática pilotando um mecha voador (com um coelhinho cor-de-rosa desenhado na fuselagem!) para destruir zumbis nazistas steampunk? (O que? QUEM teve essa ideia? o.O) Feito! Combater um dragão com espadas e metralhadoras? Até ÓBVIO em comparação com essa anterior.
Esses são os não poucos pontos positivos do filme. Agora, o que há de NEGATIVO nele? Só consigo pensar que essa ideia de fantasias dentro de fantasias parece MUITO chupinhada de A Origem. Mas até aí, o conceito aplicado aqui é bem diferente daquele usado no filme de Christopher Nolan, então dou um desconto (Blade e Entrevista com o Vampiro são ambos filmes com vampiros como elementos centrais da trama e são mais diferentes que o dia e a noite, afinal).
A essa altura, se você prestou atenção na enrolação inicial da resenha já deve estar se perguntando O QUE, afinal de contas torna uma resenha desse filme difícil, não? A resposta é: Os vários níveis de significado. Realmente, arrisco (e friso bem o ARRISCO) dizer que seja um filme até artístico nesse sentido. As strippers/prostitutas com trajes sumários fatiando inimigos com armamento absurdamente fálico em busca de sua liberdade do bordel, por exemplo, me pareceu uma bela analogia feminista; essa analogia é até reforçada pelo fato da dança de Babydoll, com seu efeito hipnótico, não ser retratada na tela, pois ela só é efetivamente vista por aqueles que a vêem como mera mercadoria.
Resumo da ópera? Bom filme para quem quiser um pouco de ação, mas ainda NÃO é do tipo "ação sem cérebro" de um 300 ou Os Mercenários da vida. De fato, se você observar SOMENTE por esse ângulo, AÍ SIM o filme decepciona. Mas se estiver disposto a ver algo que consegue estimular o cérebro como um Asimov e colocar a adrenalina em jogo como um Super NES, vá sem medo.

segunda-feira, 18 de abril de 2011

Gambiarracast #1: Remakes, Reboots e Mimimis


Olá pessoal!!!

Depois de um longo hiato, falta de paciência e juntando coragem, sai a primeira edição do Gambiarracast!

Tendo em mente as últimas notícias passadas sobre os filmes de HQs, Diogo (@DioRod) e Heder (@hederosny) juntam-se a Doug (@dougilustra) e Valdeir (@Val_deir), do Pauta Livre News (http://www.pautalivrenews.com.br/) para analisar e especular o que pode ser bom ou não nesse e no próximo ano.

Aproveitem aí abaixo ou baixem o cast:


Download

Link Direto


Sobre o novo Conan:




Sigam também:

@7seconds
@Jeh_Felixx
@roolilustra
@mundorobo
@ricardo_pasqual
@RenatoFX
@Cosmogamer

sexta-feira, 15 de abril de 2011

Street Fighter vs Tekken: o grande crossover dessa geração?

Olá galerinha!

Na ComicCon do ano passado sairam dois trailes divulgando o crossover com as duas grandes empresas de jogos de luta: capcom e Namco. Numa estratégia diferente dos outros crossovers, serão dois jogos DISTINTOS: a Capcom fará o seu
jogo, e a Namco o seu- ambos com seus próprios métodos de jogos: o da Capcom será no estilo SSFIV e o da Namco será no estilo Tekken.
O hype se instalou no coração dos gamers. O fato de cada produtora fazer seu próprio jogo sem interferências da sua "concorrente" está gerando um clima de competição, para ver qual versão será a melhor.

E a dona Capcom começou mostrando as armas, com gameplays e cinematics.



Esse é o primeiro trailer:



Coitado do Dan...

Além do video de gameplay que todo mundo já viu, recentemente sairam mais um trailer mostrando a jogabilidade (aparentemente DIFERENTE de SSFIV) e um de história:




Pelo qu percebi, o jogo focará em Kazuiya indo atrás do dark hadou do Ryu. Estou MUITO ansioso por este jogo, que com certeza irei adquirir logo que sair.

E o Tekken vs SF (da Namco)? Não tem muita coisa ainda, mas também promete!


terça-feira, 5 de abril de 2011

Na Estante: Buso Renkin


Criado por Nobuhiro Watsuki (Rurouni Kenshin) entre Junho de 2003 a 2005, a serie Buso Renkin começou a ser publicada ano passado pela editora JBC . Atualmente está no oitavo volume nacional.


Sobre a história, segue da nossa querida Wikipedia, a Mãe dos Burros:

"A história começa quando o colegial Mutou Kazuki é morto ao salvar uma garota de um monstro, mas ele acorda achando que tudo não passou de um pesadelo. No dia seguinte ele leva sua vida normalmente, mas acaba se encrencando por ter perdido sua mochila na noite anterior e fica no colégio até tarde. Durante a noite, ele e sua irmã são atacados pelo mesmo monstro cobra da noite anterior. Enquanto foge, Kazuki recebe uma ligação em seu celular, é Tsumura Tokiko, a garota de seu "sonho", ela explica que o monstro é um Homunculus e que Kazuki realmente foi morto, mas ela o ressuscitou colocando um
a Kakugane no lugar do seu coração. Tokiko explica que a Kakugane é um aparato
alquimista que quando ativado se transforma em uma arma para lutar contra os Homunculus. Num momento de desespero, Kazuki ativa sua Kakugane e cria sua própria Busou Renkin, que tem a forma de uma lança imensa. Juntamente com Tokiko, Kazuki luta contra os Homunculus e seu criador."

As kakuganes são artefatos de grande poder, que se transformam em armas conforme a vontade e personalidade do criador. Aqui o autor consegue mostrar sua grande criatividade para sistemas de lutas e criação de armas. Algumas cenas de luta são simplesmente eletrizantes, rivalizando com Kenshin...

O mangá segue o traço incrível do criador de Kenshin, que consegue evoluir seu traço e criar novas temáticas e novas batalhas em cima de um tema já batido, pois foi altamente explorado por Full Metal Alchmist.

Correndo riscos de comparação o mangá se sobressaiu, gerou um anime (que ainda não assisti) e consegue (em minha humilde opinião) ser ainda melhor. Obviamente, o tema em FMA é muito mais denso, e em Buso Renkin o trabalho é mais leve, com menos cenas que nos choquem.

Acrescentando de forma leve e bem humorada, o mangá explora coisas seguindo a linha de Kenshin, com ênfase nas já conhecidas técnicas de narrativa do autor, que ainda é muito rigoroso consigo mesmo, nos famosos "Papos de Autor" que já me fazia rir muito nos idos de Kenshin.

A edição nacional segue um padrão legal, sem os malditos meio-tankos. Espero que não seja cancelado como Loddoss da panini, e recomendo a todos que conheçam também esse trabalho!


Desculpem a falta de inspiração do post, mas a correria é grande e o blog (em breve site) não pode parar!

segunda-feira, 4 de abril de 2011

Novo (de novo) trailer dos Novos Thundecats


Olá pessoal!

E a wondercon tem se mostrado um evento bom para mostrar coisas novas e aumentar meu hype.

Foi divulgado mais um trailer dos Thundercats, e pelo jeito realmente veremos o início da queda de Thundera:




Só estou sentindo falta do Panthro, mas até agora está tudo muito legal, mesmo a animação ter se mostrado mais "industrial", com frames padrões dos desenhos atuais.

Mas pelo que foi mostrado, acredito que a história será mais crível do que o desenhos dos ointentas.

domingo, 3 de abril de 2011

Novo Trailer do Lanterna Verde




É, pessoal...

O assunto do Sábado foi a divulgação de um "compilado de cenas" do Lanterna Verde, previsto para sair dia 17 de Junho no mundo e só em AGOSTO em terras brazilis.


O trailer em si melhora MUITO a cara do filme. estou empolgado com ele desde o início, mas confesso que queimaram a produção com o já famoso "I know, right?" e outras cenas que povoam o primeiro trailer. além disso, foi divulgado um poster, MUITO MELHOR do que os demais materiais de divulgação anteriores:


Muito provavelmente elas continuam ali, mas esse novo trailer reacende a esperança e ajuda a ecoar a pergunta:

POR QUE NÃO MOSTRARAM ESSE TRAILER PRIMEIRO AO INVÉS DO OUTRO?

Agora é esperar.