Teste Teste Teste

comments powered by Disqus

domingo, 12 de fevereiro de 2012

Na estante: A Vingança dos Lanternas Verdes


Como já mencionei a algum tempo, a Panini tem feito um trabalho muito irregular com seus mixes, mas extremamente legal com sua linha Panini Books- os encadernados de luxo. Apesar do preço muitas vezes salgado, o investimento vale a pena pelo acabamento. Apesar de não ser tão adepto de comprar encadernados (acho que vou começar a fazer isso), não resisti e adquiri o encadernado do Gladiador Esmeralda, que narra as primeiras aventuras de Hal Jordan após ressucitar em Lanterna Verde: Renascimento.


Mesmo com a descoberta de que Parallax na verdade era a personificação do medo e estava parasitando Jordan, os lanternas da recém restabelecida Tropa dos Lanternas Verdes desconfiam muito do terráqueo (na verdade, todos os representantes da tropa do setor 2814 sofrem esse preconceito), por conta de suas atitudes em Crepúsculo Esmeralda, em que ele matou vários lanternas, deixando outros a deriva, sem poderes, após a destruição da bateria central de Oa.

Após a chegada de um dos companheiros de Jordan que teriam morrido em Crepúsculo Esmeralda, o lanterna da Terra começa a se questionar quem mais estaria vivo, solicitando uma incursão aos setores proibidos do espaço com a finalidade de buscar os lanternas desaparecidos. Obviamente, os Guardiões negam e, obviamente, Jordan vai mesmo assim. Junto com Guy Gardner, Hal Jordan parte para uma busca quase impossível.


Há também um segundo arco envolvendo Soranik Natu, lanterna verde que substituiu Katma Tui, que por sua vez era sucessora de Sinestro. A hq, publicada originalmente na revista Green Lantern Corps envolve como o povo de Korugar reage aos lanternas, além das dúvidas e (por que não) temores da lanterna com relação ao seu legado. Há também uma história do Guy Gardner, mas esta é totalmente desnecessária. Foi acrescentada apenas como ponte para entender uma piadinha em uma outra história. O traço em GLC é meio irregular, mudando muito o desenhista, mas o artista regular da série é muito legal!

Como é de se esperar dessa fase de Geoff Johns a frente do roteiro do Lanterna Verde, a HQ é muito bem escrita, muito tudo amarrado. As histórias que precedem o arco dos Lanternas Perdidos também são legais, com destaque para o acerto de contas entre Hal e o Batman (que descobrimos ser um mimimizento rancoroso). Há também um encontro com o filho do Mongul, mas a história não é lá essas coisas. O destaque dos desenhos, claro, vai para Ivan Reis: apesar de não ter nada contra Ethan Van Scifer e gostar do Carlos Pacheco, o brasileiro arrebenta, não tem como!

O valor pode parecer salgado (quase oitenta mangos), mas para quem é fã do personagem e principalmente para quem não tem as hqs (o que era o meu caso) compensa bastante. Só achei falta de alguns extras, mas como são arcos fechados, não haveriam grandes estudos a serem feitos, na verdade.

De toda forma, recomendo fortemente para os fãs de Lanterna Verde!

Formato: 17x26 cm - 324 páginas
Lombada Quadrada - Capa Dura - Papel Couchê.
ISBN: 978-85-7351-752-1
Preço: R$79,00

Reações: